Contato

Perguntas Frequentes

A maneira mais correta de se identificar o percentual de carga de um motor é medir o conjugado desenvolvido pelo motor e comparar com o valor nominal, porém este não é um método muito prático. Uma segunda opção é verificar com um Wattímetro, medir a potência absorvida pelo motor e comparar com a potência nominal. Neste caso há um pequeno erro na determinação do percentual devido ao rendimento do motor não estar sendo considerado.

Outra forma é utilizar o valor da corrente como referência, e de forma menos precisa indicar se o motor está ou não sobredimensionado. Deve-se tomar cuidado com este método em motores de pequeno porte, em que a corrente em vazio pode ser próxima do valor em plena carga, normalmente para motores abaixo de 5cv este fato fica mais evidente.

Constatado que determinado motor está sobredimensionado, ou seja, com a potência nominal muito acima do necessário é interessante a redução da potência instalada deste motor, buscando a redução do consumo e melhoria do fator de potência.

No entanto, alguns cuidados devem ser tomados, tanto elétricos quanto mecânicos. Para haver a redução da potência, é necessário que o novo motor tenha potência e conjugado para acionar a carga durante todo o ciclo de operação, incluindo um momento crítico que é a partida e também possíveis sobrecargas. Em equipamentos como ventiladores ou centrífugas, a partida é ainda mais crítica pois possuem elevada inércia na partida. 

Mecanicamente, ao se reduzir a potência do motor, em alguns casos também se reduz o tamanho da carcaça, e com isso são necessárias adaptações em bases e acoplamentos. E ainda, reduzindo a carcaça, o diâmetro do eixo também fica menor, suportando menos esforços mecânicos, o que pode ser crítico em acionamentos com polias e correias.

A corrente a vazio de motores elétricos é o valor de corrente elétrica que percorre o motor quando ele não aciona carga nenhuma na ponta do eixo, ou seja, com o motor desacoplado da máquina acionada.

Essa corrente pode ter valores elevados em amperes, porém, é uma corrente de natureza somente reativa, e assim não indica consumo de potência elétrica ativa. Ela existe para magnetizar o circuito eletromagnético do motor, e para motores de baixas potências, seu valor pode ser próximo ao valor da corrente nominal. 

Assim, é comum erros de avaliação de dimensionamento de motores baseados apenas no valor da corrente absorvida.

Veja a seguir os benefícios de realizar a correção do fator de potência.

O fator de potência é uma medida que é feita nos medidores das concessionárias de energia que mede a relação entre energia ativa, aquela que gera trabalho e pela qual pagamos o consumo medida em kW, e a potência reativa, que por não gerar trabalho não é cobrado o seu consumo. No entanto, como ambas as potências percorrem a mesma linha de transmissão até o consumo, a potência reativa é limitada a uma proporção de 8% do total, ou em outras palavras, o fator de potência mínimo para concessionárias é de 0,92. Quando este valor é ultrapassado, ou seja, determinada instalação utiliza mais que 8% da capacidade do sistema para uso de energia reativa, a concessionária de energia cobra uma multa por isso. Ao corrigir este fator, não é pago este valor referente a esta multa, por este motivo reduz o valor da conta de energia no fim do mês.

Sistemas de ventilação são grandes potenciais para redução do consumo de energia, pois quando acionados com variação de velocidade, possibilitam um controle mais preciso e mais eficiente da vazão. 

Ventiladores são utilizados quando se deseja uma determinada vazão de ar, e não há necessidade de uma pressão elevada. Neste tipo de máquina quando o motor funciona com uma única velocidade, ele produz uma determinada vazão de ar e que muitas vezes não é exatamente a necessidade do processo, fazendo com que se utilize um damper para se controlar a quantidade de ar enviado para o processo.

Porém, este controle mecânico pode ser feito tanto restringindo a quantidade de ar que entra no ventilador, quanto restringindo a saída do ar. Em ambos os casos há um grande desperdício de energia, pois a vazão é diretamente proporcional à rotação do ventilador, no entanto a relação da potência absorvida varia com o cubo da variação da velocidade. Assim um pequeno ajuste de velocidade para correção da vazão necessária, representa uma grande economia de energia.

Política de Privacidade | Declaração de Uso de Cookies | Termos e Condições de Uso | RSS | © 2019 WEG. Todos os direitos reservados.