A Internet das Coisas (IoT) é um dos pilares da Indústria 4.0, conceito que está revolucionando a indústria a partir da integração de tecnologias digitais, físicas e biológicas. No Brasil, a Quarta Revolução Industrial está em desenvolvimento, mas todo seu potencial é percebido para um aumento substancial da competividade, com maior economia em todos os segmentos.

Tradução literal da expressão em inglês Internet of Things, o termo Internet das Coisas descreve o cenário em que numerosos objetos do dia a dia estão conectados à internet e se comunicando mutuamente. Essa conexão acontece através de sistemas ciber físicos, com capacidade de coletar informações em tempo real e criar ações de resposta conforme a necessidade. 

Desde 2017 existem mais objetos na internet do que as 7 bilhões de pessoas no mundo. A empresa de análise Gartner estima que, em 2020, serão mais de 26 bilhões de dispositivos conectados, mas a projeção é que aproximadamente 50 bilhões estejam conectados à IoT. Além das demandas domésticas, em volume crescente, a própria indústria pode se beneficiar da IoT para melhorar seus processos. 

Trazendo o conceito para dentro das fábricas, a Internet das Coisas Industrial (IIoT) potencializa as vantagens da tecnologia para maior eficiência produtiva. Ela permite medir em tempo real a produtividade das máquinas e indicar quais setores da planta precisam de mais equipamentos e suprimentos, por exemplo. Outra vantagem é a diminuição de paradas com a análise preditiva. 

Dispositivos, como o WEG Motor Scan, podem identificar previamente a necessidade de ajustes e, desta forma, ajudar a corrigi-los antes da produção parar, comprometendo prazos e resultados. Além disso, com base em dados históricos, é possível identificar a probabilidade de resultados futuros, contribuindo diretamente para a tomada de decisões mais assertivas. 

Informações que antes eram geradas mas não processadas ganham novo sentido com a conectividade da Internet das Coisas. Os dados passam a ser armazenados e analisados de forma precisa, automatizada, tornando simples objetos em instrumentos para mais eficiência e novas funcionalidades, na indústria e na vida cotidiana.