Arquitetura

Por que não existe uma tomada universal?

Compartilhe nas redes sociais:

Se você já viajou a outro país, provavelmente passou pela frustração de não conseguir ligar os seus aparelhos na tomada, porque o padrão era diferente do que o que costuma usar. Mas por que não existe uma tomada universal?

Quem viajou para fora do Brasil já deve conhecer alguns tipos diferentes de tomadas, mas no total são 14 tipos, identificados por letras de A a N, segundo a Comissão Eletrotécnica Internacional (IEC, na sigla internacional).

A principal razão de existirem tantos modelos está no fato de essa ser uma invenção de um mundo pré-globalização, onde os países pensavam apenas no seu desenvolvimento e não na união entre os povos.

Desde o final do século 19, países começaram a escolher, de maneira aleatória, plugues de tomadas próprios. Na época, isso não atrapalhava outros países pelo simples fato de que não existia um volume alto de exportações de aparelhos elétricos pelo mundo e muito menos esse senso de proximidade vivido hoje, com a facilidade de viajar para outros países.

São mais de 40 anos sem padronização, mas com o passar do tempo, isso acabou se tornando um problema com a exportação de produtos, turismo e outros.

A IEC já tentou criar uma tomada universal, mas praticamente nenhum país aceitou a mudança. Por enquanto, só um adaptador universal pode resolver o problema das diferenças. Ele é grande, mas serve para usar em qualquer lugar e aceita todos os tipos de plugues.

tomada-universal-2-01Existe solução?

Em entrevista à BBC, Gabriela Ehrlich, porta-voz da IEC disse que é possível que a entrada USB seja a solução para que haja no mundo um padrão único.

“É a próxima grande oportunidade, quando houver corrente elétrica direta (diferente da corrente alternada, adotada universalmente no fim do século 19) em todo o mundo.”

Será que daria certo? O que você acha?