Linhas produtivas totalmente integradas, decisões descentralizadas, autonomia para programar manutenções. Com as fábricas inteligentes, a eficiência na indústria é elevada à máxima potência, permitindo resultados jamais antes vistos com a revolução tecnológica promovida pela Indústria 4.0.

Mas você sabe o que é Indústria 4.0 e como surgiu este conceito?

A Indústria 4.0 é um avanço dos sistemas industriais de produção, marcada pela convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas. Em outras palavras, os processos industriais integram o mundo virtual e o mundo real, em que máquinas, produtos e componentes compartilham e processam informações de forma inteligente via internet, big data e computação cognitiva.

O conceito foi utilizado pela primeira vez na Feira de Hannover, em 2011, por conta de um projeto de estratégia de alta tecnologia do governo da Alemanha, país referência quando o assunto é inovação. A iniciativa envolveu diversas esferas da sociedade com o objetivo de modernizar e aperfeiçoar ainda mais as indústrias locais.

 

A Indústria 4.0 é baseada em 9 pilares:

1 robôs autônomos

2 manufatura aditiva

3 internet das coisas

4 cyber segurança

5 simulação

6 big data analytics

7 computação na nuvem

8 sistemas integrados

9 realidade aumentada

A evolução dos sistemas produtivos, a partir de sensores e equipamentos conectados em rede, aponta para um cenário de vantagens e oportunidades, inclusive a pequenas e médias indústrias.

 

Quais as vantagens da Indústria 4.0?

•Aumento da produtividade e economia

•Maior capacidade de prever falhas no processo

•Descentralização do controle dos processos produtivos

•Integração de toda a cadeia de produção e logística

•Processos de manufatura mais flexíveis e auto ajustáveis às demandas customizadas

•Capacidade de análises e operações em tempo real

•Redução do tempo de equipamento parado

•Melhores condições de trabalho

Com estas e outras vantagens, a partir da migração da indústria para o conceito 4.0, estima-se uma redução de custos industriais no Brasil da ordem de R$ 73 bilhões/ano. A projeção é fruto de levantamento feito pela ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, organização governamental ligada ao Ministério do Comércio Exterior.

Com a tecnologia disponível, cabe às empresas iniciar o processo de migração, transformando os desafios em oportunidade através de investimentos planejados e estratégicos neste novo modelo industrial.